Implante de Anel Intra-Estromal, Anel Corneano ou Anel de Ferrara

ANEL INTRAESTROMAL

Implante de Anel Intra-Estromal, Anel Corneano ou Anel de Ferrara

Implante de Anel Intra-Estromal, Anel Corneano ou Anel de Ferrara

O Implante de Anel Intra-Estromal, Anel Corneano ou Anel de Ferrara, é indicado para tratar os grandes distúrbios de Curvatura Corneana:

Ceratocone
Degeneração Marginal Pelúcida
Ectasia Pós-Lasik
Astigmatismo Elevado Pós Ceratotomia Radial
Astigamtismo Elevado Pós Transplante de Córnea
cornea

Esta tecnologia, desenvolvida por um oftalmologista brasileiro, Dr. Paulo Ferrara, causou um grande impacto no tratamento dos distúrbios de curvatura corneana. Há 15 anos atrás, as opções terapêuticas eram apenas óculos nos casos leves, lentes rígidas nos casos moderados e transplante de córnea nos casos graves. Os pacientes intolerantes as lentes rígidas muitas vezes preferiam ficar sem corrigir a sua visão a ter que usar lentes tão incômodas, particularmente os portadores de Ceratocone que são geralmente muito atópicos (alérgicos). Se adaptar lente de contato gelatinosa num atópico com córnea normal já é um desafio, é ainda mais difícil

curvatura da cornea

adaptar uma lente rígida numa córnea irregular de um paciente muito atópico. E muitas indicações de Transplante acabavam sendo feitas para os pacientes que não tinham boa visão com o uso de óculos e não conseguiam usar lentes rígidas. O anel intra-Estromal possibilitou que muitas aberrações de curvatura corneana fossem corrigidas, melhorando a visão desses pacientes. Vários usuários de Lente Rígida conseguiram voltar aos óculos após o implante de Anel de Intra-Estromal, melhorando sua qualidade de vida e, assim, o número de indicações de Transplante para esse grupo de anomalias da córnea diminuiu.

O principio do tratamento com o anel é regularizar a córnea, ou seja, diminuir os elevados astigmatismos encontrados nessas doenças corneanas. O anel exerce uma força centrífuga que aplana o centro corneano, normalmente muito elevado ou irregular. Além de aplanar o centro, os segmentos de anel têm arcos circulares que regularizam a córnea, tornando-a mais esférica. Na atualidade este tratamento vem sendo chamado de Cirurgia Córneoplástica, pela sua capacidade de remodelar a córnea de forma minimamente invasiva.

CORNEA-MAIS-ESFERICA

Existem duas técnicas para o Implante de Anel Intra-Estromal, a técnica Manual e a com Laser de Femto Segundo. Após o surgimento do Laser de Femto Segundo, que confecciona o túnel para o cirurgião, o Implante de Anel tornou-se muito mais seguro, já que o Laser faz com maior precisão e em apenas 3 a 15 segundos a parte mais crítica da cirurgia, que na técnica manual pode levar mais de 5 minutos.

Nas córneas que já sofreram cirurgia prévia, particularmente na Ectasia Pós-Lasik, na Córnea Transplantada e na Córnea com Ceratotomia Radial é altamente recomendável implantar Anel Intra-Estromal com o Laser de Femto Segundo, pelo elevado risco de ocorrer um acidente per-operatório com o tunelizador usado na técnica Manual.

Basicamente existem dois Tipos de Ceratocone: O Oval e o Central (Nipple). O tipo Oval responde muito bem à maioria dos arcos disponíveis no mercado, que vão de 90° a 160°. No tipo Nipple é necessário um aplanamento maior e por isso o arco deve ser maior, normalmente de 210°, mas foi lançado para o Ceratocone tipo Nipple o arco de 340º, exclusivo para túneis confeccionados por Laser de Femto Segundo. Outra novidade é o anel de filtro Amarelo, filtro anti-reflexo que evita os Halos e o embaçamento (Glare).

arcos

ARCOS DE 2100, 1600, 1500, 1200 E 900

No Comments

Post A Comment